close

Alexandre afirma que não haverá novo colapso no PS Infantil

Redação Pop Mundi 26/11/2021 15:17

Na manhã desta sexta-feira (26), a Rádio Imperador recebeu o Prefeito Alexandre Ferreira no Programa 'Mira da Notícia'. Durante a programação, foram debatidos diversos assuntos como saúde pública, educação, segurança e outros.

A entrevista foi comandada pelo radialista Marcelo Valim. O prefeito iniciou agradecendo a oportunidade que a emissora proporcionou e disse que administrar uma Prefeitura é ter problemas e procurar sempre novas soluções.

A saúde pública

Alexandre foi questionado sobre o colapso que aconteceu nesta semana no Pronto-Socorro Infantil em Franca. O hospital foi alvo de críticas, os pacientes afirmaram que a demora nos atendimentos estava absurda, faltando médicos e remédios.

"Historicamente no Pronto-Socorro sempre existiu a mesma quantidade de médicos, mas tanto no serviço público quanto particular aumentou muito o volume de pacientes. Nós estavamos atendendo a média de 6 mil crianças por mês e em setembro atendeu 9,7 mil pessoas, ou seja, o mesmo número de médico atendendo muito mais. Então estamos aumentando a quantidade de médicos", explicou Alexandre.

Ferreira também afirmou que conversou com o Secretário de Saúde Lucas Souza, para acompanhar de perto o funcionamento do PS Infantil e corrigir as falhas necessárias.

"Ontem recebemos denúncias que o hospital estava lotado novamente, mas quando chegamos lá junto com a imprensa não havia nada disso. Não tinha ninguém na espera, por quê? Por que nós estruturamos, ajustamos e organizamos."

Ele explicou que essa explosão de atendimento foi devido o volta as aulas que acabou aproximando novamente as crianças depois de muito tempo, as doenças que já existiam voltaram a ser transmitidas. 

Marcelo perguntou sobre os médicos estarem 'bicudos' devido o aumento na carga horária e plantões extendidos.

"Olha eles podem sim ficarem bravos, mas tem que cumprir. Eu fui eleito para corrigir problemas que existiam e é isso que estamos fazendo, mudando, planejando e acompanhando. O médico pode achar ruim mas terá que seguir o horário e se desistir, pode pedir para ir para outra cidade ou outra Prefeitura."

Alexandre explicou que os médicos concursados ganham em média R$ 7 mil ou R$ 8 mil reais mas que existem profissionais que acham insuficiente e explicou que os salários dos servidores públicos de Franca é o menor entre diversas cidades, em todas as áreas.

"Nós temos um problema em relação ginecologistas, os médicos de Franca não querem trabalhar aqui. Simplesmente cismaram que ganham pouco e preferem fazer cesária, por quê para atender na rede tem que cumprir horário e ter responsabilidades. É um direito deles não quererem trabalhar com a rede pública e para corrigir isso estamos contratando novos profissionais, credenciando novas empresas."

O prefeito disse que já compraram 4 mil consultas de ginecologia e a meta é chegar até 10 mil consultas. Em março de 2022, será comprado mais 10 mil atendimentos.

Questionado sobre o caso dos falsos médicos contratados a anos atrás, Alexandre disse que o cuidado foi redobrado para que não aconteça isso novamente. Afirmou também que as pessoas foram presas por estelionato.

Ferreira finalizou o assunto explicando que tem um concurso público programado para janeiro, a prova será para contratação de médicos de todas as áreas. E acredita que os problemas será sanados a partir do ano que vem, planeja aumentar os atendimentos no AME de Franca e conversar com o Estado sobre cirurgias eletivas.

Empresas que devem a Prefeitura

Marcelo questionou sobre empresas que devem milhões para Prefeitura, em diversas áreas como saúde, segurança e oturas.

"Nós fizemos um termo de convênio de contrato para essas empresas oferecerem atendimentos públicos invés de pagar as dívidas em aberto. Mas várias coisas impedem, por exemplo algumas já abriram processo contestando então precisa esperar a ação judicial chegar ao final. Após isso, conversamos sobre trocar em consultas e se eles aceitarem colocaremos em prática."

Alexandre explicou que a Prefeitura está tomando atitudes para receber dos devedores abrindo processos e indo atrás dos direitos. 

"A maioria das dívidas são de empresas grandes e eles querem discutir na justiça. Nós judicializamos todos os débitos, por quê senão caduca e ele não precisa pagar mais. E as dívidas mais baratas saem bem mais caro quando leva até o processo, mas ainda assim somos obrigados a judicializar."

O prefeito afirmou que grandes e pequenos empresários são cobrados, não existe diferença ou desigualdade nesta questão. Antes de levar até a justiça, os devedores recebem uma carta para marcar uma conversa pessoalmente com um representante da prefeitura, onde a dívida em questão pode ser dívida em até 64 vezes. 

A polêmica iluminação de natal

A iluminação de natal foi um caso polêmico em Franca, recentemente a Câmara Municipal aprovou R$ 960 mil para Acif e Prefeitura realizarem as decorações em toda a cidade. O recurso foi debatido e por fim, os vereadores votaram a destinação. 

Após isso, os parlamentares aprovaram mais R$ 36 mil para Acif realizar um café da manhã de inauguração de um novo projeto. Contudo, o evento foi cancelado por parte da Prefeitura.

"Sobre a iluminação de natal, em 2019 quando eu fui prefeito nós pagamos R$ 500 mil para iluminar mas este ano tudo subiu e nós vamos ter a decoração no centro e em todos os bairros de Franca. A figura mudou completamente, o problema não é o preço e sim a ocasião. Nós passamos mais de 1 ano numa pandemia que acabou com a economia da cidade, perdemos mais de 28 mil empregos e esse Natal é emblemático nós estamos fazendo Franca voltar a economia e a idéia é criar um Natal de Esperança."

Alexandre disse que é muito além de estética e sim para apoiar a retomada da economia, quando as pessoas estão felizes elas trabalham mais e isso vai afetar diretamente nos resultados econômicos. A estimativa é contratar 2 mil pessoas e espera que o final de ano injete mais de R$ 50 milhões.

"As pessoas vão visitar as luzes, as lojas estarão abertas e isso atrai os consumidores. Uma coisa puxa a outra, nada é feito sem esperar um retorno."

Ferreira explicou que o dinheiro foi repassado para Acif por quê a Prefeitura não tem capacidade operacional de organizar isso.

"Eu assumi a Prefeitura com todas as máquinas estragadas, todos os caminhões estragados, quando eu sai deixei todas as contas pagas e R$ 38 milhões em caixa e quando assumi novamente não tinha dinheiro para nada. Agora estou consertando tudo isso, entao não temos tempo hábil para organizar tudo isso."

O prefeito afirmou que o Ministério Público tem processos em aberto para analisar a falta de dinheiro que ocorreu na última gestão.

A respeito do café da manhã de R$ 36 mil que a Acif ia realizar.

"Seriam 3 dias de evento para 300 pessoas e mais o coffe break, 6 eventos para diversas pessoas. Mas ainda assim eu acho muito alto o recurso e por isso voltamos atrás, economizamos e mudamos de idéia."

O caos no transporte público

Durante o programa , uma ouvinte questionou sobre o transporte público dizendo que está cada vez mais decadente e que faltam ônibus para diversos bairros. 

Valim deu continuidade dizendo que a Empresa São José está a 5 anos sem aumento e questionou o que o prefeito irá fazer.

"É uma pressão muito grande, a empresa entrou com uma ação judicial devido a falta de aumentos, fiscalização e ajustes. Quando eu assumi esse problema veio com tudo, para tentar resolver isso eu revitalizei um conselho de trânsito justamente para colocar gente de fora para estudar o contrato."

Esse conselho confirmou que levando em consideração o número de gente transportadas e o valor do combustível, a passagem deveria custar R$ 7,50. Alexandre disse que não concorda com isso de forma alguma e também não pretende fazer subsídio. 

"Antes da pandemia transportava 60 mil pessoas diariamente durante a pandemia a média caiu para 12 mil pessoas. E o que eles estão cobrando? Exatamente esse défict, eles querem que a Prefeitura pague essa queda e no contrato está definido isso."

Para melhorar as frotas, Alexandre disse que a intenção é aumentar o número de ônibus. Atualmente, a empresa transporta 32 mil pessoas diaramente e as outras cidades já retornaram 90% das rotas.

"Não podemos fugir do contrato então o que eu defini foi, São José vocês melhoram e eu ajudo vocês. Aumenta o número de ônibus, diminui o intervalo entre um ponto e outro, ai eles me disseram que tem problemas em contratar motoristas e isso não é problema meu, a Prefeitura vai divulgar que estão contratando e eles terão que contratar e por ônibus rodar."

O prefeito disse que estão forçando a empresa a melhorar as frotas, atendimentos e após isso farão uma proposta financeira que seja boa para ambas as partes. 

O fim da entrevista

O prefeito Alexandre Ferreira finalizou agradecendo a oportunidade, dizendo que luta diariamente por Franca e que a Prefeitura tem cada vez mais projetos para ajudar a cidade em todos os quesitos.

"Podemos conversar com tranquilidade sobre qualquer assunto, estou disposto a responder qualquer coisa e esclarecer todas as dúvidas. Estou feliz por estar aqui, obrigada pela oportunidade é sempre bom conversar!"

OUÇA A ENTREVISTA COMPLETA COM O PREFEITO ALEXANDRE FERREIRA:

Foto: Reprodução


Podcasts
19/01/2022
Mensagem do Dia
19/01/2022
Padre Marcelo: confira o programa de hoje
18/01/2022
Mensagem do Dia
18/01/2022
Padre Marcelo: confira o programa de hoje
17/01/2022
Mensagem do Dia